sábado, 11 de agosto de 2012

Não sou um cacho

«Na verdade, senhora — respondeu Sancho —, nunca na minha vida bebi por vício; com sede bem poderia ser, porque não tenho nada de hipócrita; bebo quando tenho vontade, e quando não a tenho, e quando mo dão, para não parecer demasiado cerimonioso ou malcriado; que a um brinde de um amigo, — que coração haverá tão de mármore que não erga o seu copo? Mas embora beba não sou um cacho, tanto mais que os escudeiros dos cavaleiros andantes quase sempre bebem água, porque andam sempre por florestas, bosques e prados, montanhas e rochedos, sem achar uma pinguinha de vinho, embora por ela dêem os olhos da cara.»

Miguel de Cervantes, em «D. Quixote de la Mancha II», p. 809 (Biblioteca Editores Independentes, 2007)

1 comentário:

Flavio Silva disse...

Eu não sou tanto assim. Apenas bebo duas vezes ao dia: aos comeres e aos beberes.